quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Alfredo - Adoptado!

Ontem fomos levar o Alfredo à sua nova família. A Custódia e o marido não conseguiram ficar indiferentes ao apelo que fizemos para a adopção do Alfredo e não descansaram enquanto não o tiveram com eles para passarem, os 3 juntos, uma velhice feliz! Mimos não vão faltar ao nosso Alfredo e vai ter direito a fazer caminhadas também! Desejamos as maiores felicidades a esta família que teve o nobre gesto de acolher um sénior. Aguardamos sempre notícias e quando possível faremos uma visita. Sê feliz Alfredo!
Querido Adoptante!

Escrevo esta carta para me despedir de ti. Os dias quentes vão em breve terminar e não acho que o frio deste Inverno, vá perdoar este velho coração de cão.

Sabes...Nem sempre fui um cão velho. Fui um cachorro lindo e quando uma pessoa me tirou da minha mãe e me levou, não foi aquilo que eu esperava. Vivi a minha vida acorrentado, passei muita fome e levei muita pancada sem nunca ter percebido a razão de tanta raiva. Eu, da minha parte, posso apenas dizer que adorava essa pessoa, apesar de tudo, e vivia para os breves momentos em que a via.

Um dia meteu-me dentro do seu carro e eu, doido de alegria, nem me apercebi o que estava a acontecer quando o seu carro parou, eu saí e ele partiu. Corri atrás do carro, com a força que o meu velho corpo me permitia, mas o cansaço venceu e não mais o voltei a ver.

Vaguei muito tempo por aqui e por ali, sempre escondido e apavorado, passei mais fome do que o costume, até que o desespero venceu e fui-me aproximando de um simpático jovem que me oferecia algo: era um Biscoito!!! E depois outro, e outro, e outro...Nunca tinha provado algo tão maravilhoso. Biscoitos é o que mais adoro no mundo, a seguir a ti, claro!

Foi este jovem que me levou para o sítio onde estou agora: uma boxe, onde tenho alguns companheiros, comida e às vezes até uns mimos da senhora que toma conta de mim. Foi ela que me contou que também eu iria ter um Verdadeiro Dono!!! Um Verdadeiro Dono!!! Só para mim!! Nem queria acreditar! Mas porque não? Afinal sou um cão meigo, calmo, que só quer um cantinho quente onde possa estar enroscado. Não dou muito trabalho.

Por isso, em cada rosto que passou em frente à minha boxe, eu procurei o teu rosto e em cada olhar, eu procurei o teu olhar...E assim os dias foram passando, as semanas e depois os meses... E tu nunca vieste!... Agora sei, que tu nunca virás...Afinal, tu não me queres e é aqui nesta boxe de cimento que vou viver até morrer!

Tenho pena, tenho muita pena! Queria tanto me enroscar aos teus pés, em frente à lareira e sentir a tua mão acariciar o meu pêlo, ainda sedoso. Agora sei que isso não vai acontecer. Eu compreendo...Tu não queres um cão velho, para te fazer companhia, eu para ti, seria apenas um peso e a minha alegria ao ver-te chegar a casa, no final de um dia de trabalho, ia apenas te aborrecer... Por isso, segue com a tua vida e não penses mais em mim...

Eu aqui ficarei nesta boxe cinzenta e húmida à espera que o frio do Inverno adormeça o meu corpo cansado e que finalmente eu possa ir para aquele lugar quente, onde todos os cães são felizes e têm um dono que os ama verdadeiramente!

Do cão que podia ter sido teu...
                                                  Alfredo!

Contactos para adopção: adocoesmafranimal@gmail.com ou 962366290

Sem comentários:

Publicar um comentário